Mairinque entra em temporada seca com chuvas de abril 56% abaixo da média histórica | O Democrata
Saneaqua tem plano de contingência estruturado para o enfrentamento da estiagem e orienta a população sobre a importância do uso consciente de água. 

Outono e inverno são estações tradicionalmente mais secas, em que um menor volume de chuvas já é esperado. E mesmo não sendo nenhuma novidade no calendário anual, a estiagem ainda merece atenção. Isso porque ela tem se antecipado e se tornado cada vez mais prolongada, a cada ano. Em 2021, por exemplo, Mairinque registrou 27% menos chuva que a média histórica dos últimos anos na cidade. E em 2022, a condição de atenção se mantém. 

Em abril, foram registrados apenas 18 milímetros de chuva; volume 41% abaixo do ocorrido no mesmo período do ano passado e 56% inferior à média histórica do mês no município, de acordo com dados da rede pluviométrica do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), responsável por medir o volume de chuvas em todo o estado de São Paulo. 

A menor ocorrência de chuvas que, novamente antecipou o período de estiagem em 2022, tem sido alertada pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), que monitora em seu site o avanço da seca em todo o estado de São Paulo, destacando para a importância de adotar estratégias sobre o uso racional e sustentável da água. 

Em Mairinque, a captação do Fiscal, que é um braço da represa do Itupararanga, se encontra atualmente com condições seguras para a manutenção do abastecimento regular de água, com o nível de 2,44m, quando o mínimo necessário para captação é de 2,20m. Já a represa do Carvalhal está em estado crítico. O atual nível do manancial é de 1,53m, sendo que o mínimo necessário para captação é de 1,70m. 

“A captação no Carvalhal está sendo operada em regime de revezamento para recuperação do nível desse manancial”, informa Bruno Gravatá, gerente de operação da Saneaqua, concessionária de água e esgoto de Mairinque. 

É importante destacar que o abastecimento de Mairinque é feito a partir dessas duas captações superficiais (Fiscal e Carvalhal), e mais 19 poços subterrâneos. Os poços encontram-se em estado normal até o momento. 

A Saneaqua informa que além do acompanhamento das chuvas e do monitoramento diário dos mananciais, tem agido preventivamente reforçando ações de melhorias e investimentos em todo o sistema de água do município, medidas que têm papel fundamental num possível agravamento da disponibilidade hídrica durante o ano. 

“A companhia tem ainda estruturado um plano de contingência para este ano, como a ampliação das fontes de captação com novo poço e adutora na região de Dona Catarina, obras para troca de redes de distribuição, além de um plano integrado para redução das perdas de água, são de grande importância. Superamos 2021 adotando medidas preventivas para o enfrentamento dos meses mais secos, e neste ano não será diferente”, afirma o gerente. 

A Saneaqua também orienta sobre a importância do uso consciente de água a partir desses meses iniciais do período seco. “Esperamos contar com o apoio de todos com mudanças de hábitos necessárias, evitando desperdícios. A participação da comunidade nesse contexto é fundamental para evitar o agravamento de medidas mais restritivas ao consumo ao longo do ano”, destaca Gravatá. 

Dicas para um Consumo Consciente de água: 

· Mantenha a torneira fechada ao escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça. Ao escovar os dentes com ela aberta, você gasta cerca de 13,5 litros de água em apenas dois minutos. 

· Tome banhos curtos. Cinco minutos são suficientes para fazer a limpeza do corpo e, enquanto você se ensaboa, o registro deve ser fechado. Isso gera uma economia de até 30 mil litros no ano. 

· Preste atenção e conserte eventuais vazamentos na sua casa. Um buraco de apenas 2 milímetros na tubulação de uma única casa desperdiça 3.200 litros de água por dia. 

· Organize a louça antes de lavá-la. Use uma bacia para deixar os utensílios de molho, para amolecer a sujeira, lave toda a louça e enxágue tudo de uma única vez. Isso também ajuda na economia. 

· Troque a mangueira pela vassoura. Lavar a calçada com mangueira pode representar um consumo aproximado de 120 litros de água. 

· Converse com as pessoas à sua volta sobre o consumo consciente de água, incentive ações de economia e redução no uso desse bem tão valioso. 

Jornal O Democrata São Roque

Fundado em 1º de Maio de 1917

odemocrata@odemocrata.com.br
11 4712-2034
Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 04
Centro - São Roque - SP
CEP 18130-070
Copyright 2021 - O Democrata - Todos os direitos reservados