Moradora reclama do barulho das raquetadas e gritos no Prainha SR

Recebemos nesta segunda-feira o e-mail de uma moradora do Jardim Bandeirantes, onde está localizado o mais novo empreendimento esportivo de São Roque, o Prainha SR.

Na carta, que segue na íntegra, a seguir, a reclamante fala sobre o barulho das raquetadas e gritos dos esportistas que começam logo cedo, às 6h. Ela também questiona as condições sanitárias neste período de pandemia.

O Prainha SR emitiu nota dizendo que segue todas as normas regulamentadas pelas autoridades e que contribui para a prática de atividades físicas fundamentais também para o combate ao coronavírus. A resposta do empreendimento também segue na íntegra ao final desta matéria.

Carta da moradora

Prainha e descontração para quem?

Ao longo dessa semana, acompanhamos a movimentação em torno da mais nova atração de São Roque: o Prainha SR. A área de lazer, como divulgado na imprensa local, incluindo o jornal O Democrata, promete “areia, esporte, descontração e gente bonita”, com a prática de atividades esportivas como futevôlei, beach tennis, vôlei de praia, com “o famoso chuveirão na área externa, e uma bela churrasqueira”, além de “quiosques com comidas e petiscos deliciosos, que lembram os momentos de pé na areia”. A atração que, segundo a notícia, buscaria “proporcionar diversão, bem-estar e alegria para a cidade de São Roque”, tem, contudo, tirado o sono dos moradores da Rua Bento Antônio Pereira, Jardim Bela Vista, onde o empreendimento está instalado.

Se não bastasse o incômodo barulho das raquetadas, que iniciam às 6h da manhã, e dos gritos exaltados dos seus praticantes, que claramente esquecem que se trata de uma área residencial, onde vivem moradores (incluindo idosos e crianças), assistimos perplexos a aglomeração de pessoas sem o uso de máscaras, como se não estivéssemos enfrentando uma grave crise sanitária que, entre tantos desafios e perdas, nos impõe a necessidade séria e urgente de garantir o distanciamento social.

Tão lamentável quanto à falta de empatia daqueles que buscam “a sensação de estar na praia”, sem qualquer preocupação sobre como seu lazer vai impactar a vida do outro, é a ausência/conivência dos órgãos públicos. Resta-nos, assim, perguntar: as regras sanitárias são para alguns, não para todos? O horário de funcionamento de estabelecimentos privados deve ser seguido por uns e não por todos?  A crise da covid-19 terminou e não fomos avisados?

Maria Aparecida Marques Di Giulio – RG 7994746-3

Resposta Prainha SR

“O esporte é uma ferramenta valiosa para comunicação e conexão de comunidades em todas as gerações e desempenha papel relevante no desenvolvimento e transformacao social de muita gente.

O Prainha veio para Sao Roque justamente com o intuito de contribuir positivamente para a cidade nesses quesitos, trazendo a oportunidade das pessoas praticarem esporte em um ambiente totalmente aberto, sem contato fisico e com todos os cuidados necessarios. Sabemos que estamos em um momento delicado de pandemia e por conta disso estamos seguindo estritamente os horarios de funcionamento aprovados pela prefeitura, respeitando os ajustes solicitados de acordo com as fases (amarela, laranja, vermelha etc). Alem disso, tambem estamos estruturados para receber nossos alunos e clientes com todo o cuidado possível seguindo e reforçando todos os protocolos e medidas preventivas do Covid 19, afinal nossa prioridade será sempre a saúde e bem estar das pessoas.

Reforcamos ainda, que principalmente nesse momento do Covid o esporte torna-se ainda mais necessario, já que grande parte dos casos graves da doença acontecem com pessoas obesas ou com sobrepeso e o esporte contribui positivamente tanto para saúde física quanto para saúde mental.

Horario de funcionamento: Fase Amarela (10 horas permitidas)

  • Segunda a Sexta-feira: das 6h as 11h no periodo da manha e das 16h as 21h no perido da tarde/noite
  • Sabado e domingo: 8h as 18hs

Medidas preventivas que foram implementadas:

  • Uso de máscara obrigatório para circulação no local, cobrindo boca e nariz
  • Higienização das mãos na entrada e álcool gel disponível em todo o espaço
  • Aferição da temperatura na entrada
  • Higienização com bactericida após o uso dos materiais
  • Profissionais treinados e protegidos
  • Cuidados especiais com locais de maior contato
  • Maquininha de cartão esterilizada após o uso
  • Ambiente amplo, aberto e ventilação natural

Convidamos a todos para conhecerem as instalações e como estamos operando em relação aos protocolos do Covid.

Não podemos permitir que uma opinião pessoal coloque em risco todo um trabalho com respeito e cuidado com a sociedade de São Roque.”