Mulher é morta e tem dedo amputado para uso de biometria em MG

Uma mulher de 67 anos foi morta e teve o dedo amputado pelo autor do crime, que tentou fazer saque em sua conta bancária com o uso de sua biometria. Luzia dos Santos tinha 67 anos e foi encontrada dentro de uma mala na tarde de terça-feira (27) em Pouso Alegre, Minas Gerais. Ela estava desaparecida há um mês e a polícia chegou a Adivaldo Ferreira, de 38 anos depois que vizinhos de Luzia estranharam as idas e vindas do assassino à casa da vítima.

Ainda de acordo com a polícia, vítima e assassino se conheciam. Aldivam é pedreiro e tinha feito serviços na casa da advogada em novembro do ano passado. A partir daí ele passou a acompanhar os movimentos da vítima e a matou asfixiada dentro de casa com um fio de carregador.

Ele colocou o corpo de Luzia numa mala e a carregou até um matagal e a jogou às margens de um córrego. Uma sobrinha foi quem sentiu falta da tia e registrou um boletim de ocorrência por desaparecimento em 7 de fevereiro.

Depois de tentar esconder o corpo Aldivam ainda tentou fazer saques com o cartão da advogada, mas o caixa eletrônico pedia a biometria. Foi aí que ele teve a ideia de cortar o dedo de Luzia para fazer o saque. Ele não conseguiu e foi preso depois que vizinhos denunciaram que um homem estava tirando eletrodomésticos e móveis da casa. A um dos moradores, Aldivam disse que era sobrinho da vítima e que ela estava hospitalizada.

Aldivam Ferreira foi identificado enquanto estava preso pela suspeita de tentar roubar uma casa de recuperação de dependentes químicos na mesma cidade.

Fonte: G1