Passageiros reclamam sobre horários e lotação do transporte municipal

Inúmeras reclamações sobre o transporte municipal de São Roque chegaram à redação de O Democrata nos últimos dias. Entre as principais queixas estão os ônibus lotados e as poucas opções de horários para quem precisa se locomover até o Centro da cidade para trabalhar.

“Os ônibus sempre andaram cheios, mas agora com a pandemia tá pior ainda, pois agora são poucos ônibus circulando”, disse Celina Gonçalves. “O ônibus de Canguera – via Guaiana, sem condições, super lotado. Mais de vinte pessoas em pé no horário das 09h10, aglomerações sem limite. Por favor tomem providências, a empresa tem que rever essa situação”, reforçou a passageira Alessandra Moraes. “Não tem aglomeração? Em qual linha? Tá tudo lotado, que não dá nem pra entrar direito”, reclamou Ana Luiza Naponucena.

Questionamos a Mirage sobre a lotação dos ônibus e a empresa explicou que foi colocado um reforço na linha 10, aumentando a oferta e evitando a lotação, e negou sobre a lotação dos carros. “Tivemos um caso na segunda- feira em que já colocamos reforço na linha de Canguera / Paisagem Colonial. Nenhum dia até hoje desde que reabriu deu lotação. Estamos acompanhando de perto”, justificou a Mirage.

Desde a retomada do funcionamento do comércio na última semana, os trabalhadores alegam que estão tendo dificuldades para chegarem ao trabalho pela pouca oferta de horários no período de entrada e saída das lojas, estabelecido entre 12h e 16h.

“Deve adequar ao novo horário do comércio. Precisamos de ônibus às onze da manhã”, disse Micheli Martins. “Eu vou ter que vir 9:10 pra São Roque e ficar esperando até meio dia pra abrir a loja”, destacou Josy Moraes.

A empresa explicou que não é possível conciliar os horários de entrada dos trabalhadores da manhã e da tarde, devido à operação em caráter reduzido. “Estamos buscando atender a todos mesmo com essa redução, mas acabamos tendo algumas janelas na grade. Nesse caso, os passageiros vão precisar pegar o ônibus mais cedo, pois se mudar vai cobrir um e descobrir o outro. Para atender tudo, tem que voltar ao normal. Por isso está em caráter reduzido. Infelizmente não vamos conseguir atender a todos, alguns vão ter que se adequar. Aumentamos a linha 10, ajustamos um carro da linha do Catarina. Fizemos alguns ajustes nas linhas essa semana e vamos continuar acompanhando”, explicou a Mirage.

A empresa disse que o Poder Público tem cobrado diariamente o aumento de horários e frota operante na cidade. “A todo momento buscamos demonstrar através dos números obtidos no sistema que, não há neste momento, qualquer ponto de aglomeração e muito menos aumento na utilização do serviço”, finalizaram.

Entramos em contato com a Prefeitura de São Roque em busca de informações sobre a fiscalização destas linhas, e fomos informados que o Departamento de Planejamento está acompanhando. A empresa foi notificada a apresentar os estudos, acompanhamentos e medidas adotadas, o que vem fazendo.

Subsídio

A Mirage tem recebido o subsídio mensal de cerca de R$ 436 mil da Prefeitura de São Roque, normalmente, desde o início do ano, segundo documento publicado no Portal da Transparência, mas outros pagamentos, como vale transporte dos funcionários públicos e passes escolares foram suspensos.

Em nota nas redes sociais nesta semana, a Mirage justificou que os valores arrecadados e recebidos de subsídio não suprem a folha de pagamento e custos operacionais para a frota que está funcionando. “A Mirage mantém todos os postos de trabalho mesmo em meio a certa dificuldade mantém o compromisso com a população e com os funcionários”, disseram.

Ao O Democrata, a Mirage explicou que o subsídio é um complemento da receita e foi calculado tendo como base uma situação normal, mas hoje a empresa alega estar recebendo somente 5% da quantidade de passageiros de dias normais. “Estamos com todo o quadro de funcionários ativo, mas a receita caiu 95%. O subsídio está ajudando a manter, mas não custeia nem a folha de pagamento total. Esta é uma situação generalizada. Todo o país está vivendo isso. Outras empresas já reduziram o pessoal e também os horários. Todo o setor de transporte está vivendo a mesma dificuldade. Se os carros rodarem vazios, isso aumenta o custo, e causa prejuízo”, justificou a empresa.

As atualizações sobre horários e ajustes nas linhas estão disponíveis em nosso site www.odemocrata.com.br