Pertencimento ou vínculo – “Uma filha e uma mãe que rivalizam”

O Amor que Cura e o Amor que Adoece, existem conforme você reconhece ou contraria as Ordens do Amor. Imagine um grande rio. Imagine que a vida é esse grande rio. Há a correnteza e você pode estar a favor ou contra ela. Como não é óbvia a percepção dessa correnteza, então é comum contrariá-la e sofrer por isso (Amor que Adoece). Esse rio e sua correnteza representa o campo mórfico, onde age a Constelação Familiar. E as Ordens do Amor são as formas de se permitir seguir a correnteza.

As emoções, por si só, já indicam se você está em sintonia com as Ordens do Amor, ou se está contra elas. Mas, parece
que ouvir e acolher as emoções é um aprendizado que se precisa resgatar interiormente. As constelações familiares são o instrumento para isso.

O objetivo da constelação familiar é restabelecer as Ordens do Amor para haver harmonia e cura emocional nos relacionamentos. A Ordem do Amor “Pertencimento” significa que todos na família têm igual direito a fazer parte. Quando há exclusão de alguém por qualquer motivo (desentendimento, desobediência às regras, morte etc), todo o grupo ou família sentem essa perda. Esse pesar passa quando se inclui a pessoa em uma constelação e todos voltam a ver essa pessoa como parte.

A Ordem de Amor “Equilíbrio entre Dar e Receber” tem dois contextos para se considerar (entre pais e filhos, e nas de-
mais relações). Na relação entre pais e filhos não é possível esse equilíbrio, pois os pais deram a vida aos filhos, cuja retribuição é passar a vida adiante. Como a vida é um bem inestimável, cabe aos filhos assumir plenamente a vida, aceitá-la como receberam e sentir gratidão pela vida, com a compreensão de que tudo mais, além da vida, foi bônus. Essa compreensão é libertadora e curativa para inúmeros problemas emocionais.

Já o equilíbrio entre o dar e receber, nas demais relações, precisa ser respeitado, estabelecido. Entre casais, amigos, colegas, pessoas em igualdade, é indispensável que se permita um relativo equilíbrio das trocas que se faz na relação. Quando isso não pode acontecer, ou porque alguém faz demais ou porque alguém não pode ou não quer retribuir, se experimenta um mal estar na relação.

A Ordem do Amor “Precedência ou Hierarquia” fala que é necessário respeitar e reconhecer quem veio antes de você na sua família e em qualquer grupo. Isso significa se permitir ser filho (pequeno) dos seus pais (grande), não importa a idade ou a saúde deles. Os filhos podem cuidar dos pais, se necessário, mas é importante que o façam na condição de filhos.

A “Precedência ou Hierarquia” também se aplica aos relacionamentos anteriores que precisam ser reconhecidos, para se estar livre para um novo relacionamento. Por exemplo, é comum se observar na constelação em relação a uma filha e uma mãe que se rivalizam, que pode ter havido uma mulher anterior do pai, que não foi reconhecida. Então, por amor, a filha sem saber sente o que sente a mulher anterior do pai, se opondo a mãe e disputando a atenção do pai, mesmo que inconscientemente.

Se você quiser experimentar uma sessão online de constelação familiar para entender e mudar algo em relação ao
Amor que, adoece, por favor, entre em contato.

Thiago Souza – Terapeuta Familiar Sistêmico

  • Instagram: @thiagosouza.processo.sistêmico
  • Fone Fixo (11) 2428-2192
  • WhatsApp (11) 99344-1412