Justiça mantém prefeita de Araçariguama, Lili Aymar, afastada do cargo

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, negou nesta quinta (14) o pedido de suspensão de liminar da 1ª Vara Cível da Comarca de São Roque que prorrogou o afastamento do cargo da prefeita de Araçariguama, Lili Aymar.


Consta nos autos que a prefeita foi afastada cautelarmente por decisão proferida em ação civil de improbidade administrativa. O Ministério Público de São Paulo alega comprometimento da instrução processual, indicando a destruição de documentos. A ré é acusada de autorizar que seu marido e ex-prefeito, Carlos Aymar Bechara, atuasse na gestão administrativa municipal.

Em sua decisão, o presidente Pinheiro Franco levou em conta “os riscos de manter-se a postulante à frente da gestão municipal, no nebuloso cenário em que se encontra envolvida, tanto mais presentes indícios concretos de potencial comprometimento da instrução”. “Restará à requerente, por corolário, a utilização das vias recursais normais para a veiculação de sua insurgência, como aliás já o fez, ainda que frustrada, ao menos por ora, a tutela recursal de urgência postulada”.