Membros do Ministério da Saúde falam em renúncia se vacinação continuar suspensa

Membros da Câmara Técnica do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde se reuniram na noite desta sexta-feira (17) e o tom do encontro não foi ameno. Eles exigiram que o ministro da pasta, Marcelo Queiroga, recue em relação a nota técnica que suspende a vacinação para adolescentes no Brasil . A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo o jornal, os técnicos afirmaram que pretendem renunciar aos seus cargos, caso o ministro não atenda a esse pedido. O pleito teve apoio unânime entre os participantes da reunião.

Ainda de acordo com a publicação, esses membros querem que o ministério se pronuncie, publicamente, sobre o fato de a câmara não ter sido consultada sobre a suspensão da imunização entre os jovens. Para eles, atuação de Queiroga foi “desastrosa”.

O grupo é formado por diversos profissionais, entre eles professores e representantes de entidades da saúde, como o  Conass e o Conasems . Tais especialistas são responsáveis por embasar tecnicamente o ministério em suas decisões.

Entre as críticas a Queiroga, estão a citação da morte de uma adolescente, dando a entender que poderia ter relação com a vacina contra a Covid-19 –  o que foi desmentido pelo Governo de São Paulo– , bem como uma interpretação errônea sobre uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo o ministro, a OMS teria recomendado que jovens não fossem vacinados, sendo que, na verdade, a organização recomenda que grupos de risco, como idosos e pessoas com comobirdade, sejam imunizados de maneira prioritária.

Secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo representou a pasta na reunião. Ela disse que levaria os recados ao ministro Marcelo Queiroga.

Fonte: IG SAÚDE