Prefeito decreta Situação de Emergência em São Roque e fecha comércio e turismo nos fins de semana

Após o anúncio de diversas medidas no fim de semana para conter o avanço do coronavírus no estado de São Paulo, empresários estão enfrentando momentos de incerteza quanto ao desenvolvimento da economia neste período de “quarentena” recomendado para a toda a população.

Na tarde desta quinta-feira, 19, o prefeito de São Roque, Cláudio Góes, anunciou ao lado de diretora do Departamento de Saúde, Daniela Dias Groke que diversas mudanças ocorrerão no comércio e turismo na cidade, entre elas, o fechamento dos estabelecimentos comerciais, pontos turísticos e todo o Roteiro do Vinho das 00h de sábado até às 23h59 de domingo. Somente poderá funcionar o sistema de entregas (delivery) e está proibida a retirada dos alimentos no local.

Por meio de Decreto Municipal, o prefeito também dispensa licitação para aquisição de bens ao enfrentamento da pandemia mundial, decreta Situação de Emergência por 180 dias na Saúde de São Roque e cria o Comitê de Combate ao Coronavírus. Todos os eventos esportivos, turísticos, culturais, públicos ou privados que gerem aglomeração estão proibidos. Pousadas e hotéis poderão funcionar atendendo aos devidos cuidados. Nos velórios não será permitida a presença de mais de 10 pessoas por vez, entre outras medidas.

A partir de segunda-feira, 23, o atendimento presencial no Paço Municipal será somente em caso de extrema necessidade das 10h às 12h. A Prefeitura reforça que as equipes ficarão trabalhando internamente em horário normal atendendo os munícipes por telefone e email.

Supermercados, mercados, farmácias, postos de combustível, feiras e distribuidoras de gás serão mantidos abertos em horários normais, pois são considerados itens de primeira necessidade. O comércio varejista de produtos alimentícios está proibido de vender grandes quantidades do mesmo produto para uma mesma pessoa, mantendo a distribuição igualitária a todos.

Clínicas e consultórios podem funcionar, mas evitando aglomerações. Questionada sobre a capacidade de atendimento da cidade para necessidade de leitos, Daniela explicou que “estamos nos organizando e o Departamento de Saúde está articulado com muitas reuniões na Santa Casa. Neste momento estamos preparados. Temos uma proposta para uma segregação de atendimento dentro do hospital. Em princípio o estado libera vagas no Hospital das Clínicas, se necessário. Estamos enfrentando um momento de atenção, de tranquilidade, com cuidado, sem pânico”. Sobre os resultados dos exames para os casos suspeitos Daniela esclareceu. “Os exames estavam saindo de um dia para o outro, mas com o aumento da demanda o resultado demora em torno de 5 a 6 dias e a recomendação é seguir os protocolos”.

O prefeito reforça que todas as medidas serão reavaliadas diariamente e se for percebida a grande movimentação e aglomeração de pessoas durante a semana em alguns locais, as restrições poderão ser ampliadas. Segundo ele, não há motivo para pânico. “Nós não estamos com crise de abastecimento. Não tá faltando comida e nem transporte. Se virar desespero vira aglomeração. O Brasil está num momento de aflição, mas que as pessoas mantenham a calma. Agora é a hora humana, de cuidar de vidas. A vida é mais importante que tudo”, Cláudio.