Profissionais da Educação participam de palestra sobre Autismo

Profissionais da Secretaria de Educação de Mairinque participaram na última de uma palestra sobre o Transtorno do Espectro Autista – TEA, ministrada pela tecnóloga em saúde e psicopedagoga Milena Alves de Lima. Com o intuito informar mais sobre o tema, coordenadores, gestores, professores e a Coordenadora de Educação Inclusiva, Ivana Cardoso, estiveram presentes no Cemec.

A palestrante, que também tem um filho diagnosticado com autismo, explica que no início não possuía informações, passando a estudar sobre o assunto e estimular o desenvolvimento da criança sozinha, mudando completamente sua rotina. Sendo assim, soube explicar aos profissionais os dois lados de uma mesma moeda: as aflições das mães quando deixam seus filhos com TEA na escola e os processos educacionais e atividades lúdicas que trabalham o hiperfoco.

A Secretária de Educação, Rita Sarti Benatti, também esteve presente na ocasião e comenta que é extremamente importante ouvir o lado de uma mãe, pois cuidar dos filhos é um trabalho em conjunto. “A família tem que trabalhar com a escola e vice-versa, é um tripé: um apoia o outro. As crianças ficam conosco por algumas horas e o restante do tempo ficam com as famílias, então, as mães têm que ser ouvidas para nos trazer discussões e pontos que podemos melhorar. Claro que podem existir dificuldades, mas com todos juntos é mais fácil de superar os desafios e efetivar o desenvolvimento cognitivo dessa criança”.

Milena Alves ressalta que o preconceito existe por falta de informação e que a adaptação das crianças na escola não é fácil, mas não é impossível. “Eu acredito que o ambiente aonde a criança vive pode mudar tudo. É como a fonoaudióloga do meu filho, Guilherme, diz ‘os profissionais têm a teoria e a prática, mas as mães têm as vivências’. Nós familiares podemos agregar valor em muita coisa e trazer para vocês informações e maneiras de acalmá-los em uma crise, por exemplo. O Guilherme é um autista não verbal, sendo assim, usa o corpo para se comunicar, o que é visto muitas vezes como birra, quando na verdade é a forma dele se expressar. Então, informação, convivência e gentileza pode levar a uma sociedade mais justa”.

Guilherme Alves de Lima, filho da palestrante, foi o primeiro estudante autista de Votorantim a fazer um Projeto de Conscientização sobre Autismo na Escola, além de ser o responsável pela primeira discussão sobre Autismo na Câmara de Vereadores de Votorantim, com a aprovação da Lei da Inclusão do Símbolo Autista nas Placas Preferenciais.

O encontro faz parte de uma série de atividades realizadas neste mês com o intuito de ampliar os conhecimentos acerca do TEA. Desde 2007 a Organização das Nações Unidas – ONU passou a comemorar o Dia Mundial do Autismo em 02 de abril e, posteriormente, denominaram o mês de Abril Azul. O símbolo do autismo é um quebra-cabeça que remete a diversidade e complexidade.