Sabesp não dá conta

Editorial da edição de 11/09/2020

Ainda não se sabe qual o motivo da repentina falta d’água na última semana em São Roque. Em nota oficial, recebida nesta quinta-feira, 10, a Sabesp indicou a estiagem e problemas com a captação do recurso na cidade. Porém, chegamos ao cúmulo de culpar o fluxo de turistas pela escassez do precioso líquido.

Chegaria a ser cômico, se não fosse um clichê trágico. No momento em que a economia do município volta a se aquecer. Na hora em que as pessoas ficam à vontade para trazer recursos financeiros para a cidade. No instante em que começamos a enxergar uma luz no final do túnel, somos obrigados a culpar a roda da fortuna pelo descaso da empresa.

Descaso para falar o mínimo, mas também pode ser classificado como incompetência. A Sabesp está no município desde sempre e a cidade não cresceu tanto assim. A estatal que foi semi privatizada não acompanhou um ritmo lento de crescimento, mas sempre teve seus contratos com a prefeitura renovados. Boa fé não faltou por parte do poder público.
Faltou tratar o esgoto, captar e tratar. Anos e anos para construir uma estação condizente com a cidade, mas muitas e muitas residências continuam sem a rede para escoar os dejetos. Um problema que se arrastou até o século XXI e que mesmo com a inauguração da estação parece longe de estar resolvido, agora vai ganhar um novo companheiro?

Teremos problemas também com a captação? Obras emergenciais foram prometidas e equipes de outras cidades deverão ajudar a resolver o problema ainda esta semana. Mas São Roque não merece viver de “emergências” qual será a solução para o abastecimento de água da cidade?

Essa é a pergunta que entra no começo da época mais quente do ano. Afinal, ainda precisamos lavar as mãos.