São Roque lidera ranking de desmatamento no Estado e área equivale a mais de 300 campos de futebol

Uma pesquisa realizada pela Fundação SOS Mata Atlântica juntamente ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INEP), divulgou o Atlas dos Municípios da Mata Atlântica, com um panorama da situação da cobertura vegetal nos 3.429 municípios do bioma. No período avaliado entre 2015 e 2016, o estudo aponta que foram desmatados 730 hectares em 17 cidades de São Paulo, área equivalente a 730 campos de futebol.

São Roque lidera o ranking do desmatamento no estado, com 322 hectares desmatados (mais de 300 campos de futebol). Em segundo lugar vem Mairinque com 134 hectares de áreas desmatadas.
O processo de desaparecimento de matas, florestas, espécies nativas de determinadas regiões é um dos principais problemas ambientais causados pela atividade humana. No Brasil existem três fatores principais que envolvem o desmatamento: maior obtenção de solo para a agropecuária, uso das árvores na indústria madeireira e o maior deles é a especulação imobiliária. Entretanto a prática intensa e continuada da eliminação das florestas brasileiras está ligada à falta de fiscalização tanto do governo municipal quanto ao estadual, quanto ao cumprimento das leis, e quando isso ocorre, a justiça não pune os responsáveis pela prática.

A consequência dos desmatamentos são prejuízos ambientais e socioeconômicos muito significativos. Com relação ao ecossistema, podemos citar a perda de biodiversidade da fauna e flora nativas, degradação de mananciais ao remover a proteção das nascentes e prejudicar a impermeabilização do solo em torno da água, aterramento de rios e lagos devido à erosão ao retirar a cobertura vegetal, comprometendo a vazão dos rios, diminuição das chuvas devido à alteração das áreas de mata e do clima, causando grandes períodos de estiagem, ausência da vida vegetal e o tratamento inadequado do solo, outra grande consequência é a desertificação do ambiente. E na cidade as consequências do desmatamento também são visíveis e impactantes. Por exemplo, o turismo é um grande atrativo das cidades e regiões brasileiras, porém, com o desaparecimento das matas, esse potencial é perdido e pode trazer danos incalculáveis.

A Prefeitura de São Roque informou que está fazendo diversos projetos para amenizar e inibir o desmatamento. “O município dispõe de projetos para diminuir o desmatamento e reflorestar de áreas degradadas, entre eles, desconto no IPTU de imóvel com vegetação arbórea de preservação permanente (artigo 15 da lei nº 2.021 de 13/03/1992), elaboração do projeto Nascer Verde (Fundo Social), onde para cada criança que nasce no município é plantada uma espécie nativa em áreas degradadas dentro do perímetro da cidade, adesão ao Programa Município Verde Azul, cujo principal objetivo é estimular e auxiliar as prefeituras paulistas na elaboração e execução de suas políticas públicas estratégicas para o desenvolvimento sustentável”, disse a prefeitura em nota.

Outro fator que auxiliou no aumento destes números, foram os fortes ventos que atingiram o município no ano de 2016. “Como é do conhecimento de todos, São Roque foi o município mais afetado e teve consequências devido aos ventos ocorridos em Junho de 2016. Apesar da calamidade, já é notório os indícios de recuperação desses locais atingidos. A atual gestão vem intensificando as ações de fiscalização e tem contado com o apoio da Polícia Militar Ambiental, garantindo assim a preservação da vegetação nativa no município”, finalizou o órgão.