Sindicato anuncia transporte para profissionais da saúde e segurança pública

O Sindicato também emitiu nota em repúdio a duas empresas por ameaçarem seus trabalhadores de demissão por justa causa diante da decisão de recolhimento dos ônibus

Após o anúncio de paralisação do transporte público na região, o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região manterá em funcionamento transporte especial para profissionais na saúde e segurança pública.

 O Sindicato formulou uma proposta para manter em funcionamento o transporte urbano exclusivamente para os profissionais da saúde pública e segurança pública durante este período da pandemia do coronavírus. O transporte funcionaria em formato de fretamento, percorrendo os principais corredores de Sorocaba em horários que atendam a entrada e saída dos profissionais da saúde e segurança públicas. As empresas de transporte urbano em Sorocaba, STU e Consor, já aceitaram a proposta e aguardam uma definição do poder público local.

Para o transporte exclusivo entrar em funcionamento, os órgãos públicos de saúde e segurança devem enviar às empresas de transporte o número de profissionais que utilizam o transporte público, itinerário e horário de entrada e saída.

Em relação à segurança dos motoristas, o Sindicato exige que as empresas de transporte disponibilizem equipamentos necessários para impedir a contaminação pelo coronavírus, como máscara N95, luvas e álcool gel.

Repúdio às empresas Nossa Senhora Aparecida e Rosa

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região repudia a atitude da empresa Nossa Senhora Aparecida, que opera o transporte urbano em Itapetininga, e da empresa Rosa, que opera o transporte urbano em Tatuí, por ameaçarem seus trabalhadores de demissão por justa causa diante da decisão de recolhimento dos ônibus por causa da propagação do coronavírus nessas cidades. caso essas empresas continuem com esse posicionamento, toda e qualquer contaminação por coronavírus que vier a ocorrer a trabalhador em transporte e a população será de total responsabilidade dessas empresas e o Sindicato irá entrar com processo criminal e solicitar indenização.