Xenofobia – uma reação a quem é diferente

O termo é de origem grega e se forma a partir das palavras “xénos” (estrangeiro) e “phóbos” (medo). A xenofobia pode se caracterizar como uma forma de preconceito ou como uma doença, um transtorno psiquiátrico.

O preconceito gerado pela xenofobia é algo controverso. Geralmente se manifesta através de ações discriminatórias e ódio por indivíduos estrangeiros. Há intolerância e aversão por aqueles que vêm de outros países ou diferentes culturas, desencadeando diversas reações entre os xenófobos.

Nem todas as formas de discriminação contra minorias étnicas, diferentes culturas, subculturas ou crenças podem ser consideradas xenofobia. Em muitos casos são atitudes associadas a conflitos ideológicos, choque de culturas ou mesmo motivações políticas.

Como exemplo, vejamos o que está acontecendo em Portugal, onde a maior colônia estrangeira é de brasileiros, contando com cerca de 85.000 pessoas. Lá está havendo uma onde de xenofobia de tal porte que está surpreendendo a todos os estrangeiros, principalmente os brasileiros, que estão sendo as maiores vítimas.

Diferente do Brasil, onde a descriminação racial é crime, em Portugal, o problema é considerado como uma atitude violadora da lei, portanto, menos grave.

Em 2017, entrou em vigor em Portugal uma lei de combate à discriminação em razão da origem racial e étnica, cor, nacionalidade, ascendência e território de origem.

O governo apresentou uma estatística mostrando que a nova lei de 2017 aumentou os valores das multas aplicadas, que custam agora um máximo de 8,5 mil euros aproximadamente. Não há mais a necessidade de apresentação de provas por parte da vítima. Consta ainda que as condenações por discriminação costumam ser raras em Portugal, pois em entre 2005 e 2017, foram proferidas sentenças em apenas 2% das 1.057 queixas apresentadas, ou seja, apenas 23 condenações.

É preciso levar em conta que Portugal é uma das portas de entrada para a Europa, e que a quantidade de estrangeiros que passa por lá deve causar muitos transtornos. É como ter a casa invadida por gente estranha que não foi convidada.

Nos últimos anos, a Europa passou a ser a opção de fuga de grande quantidade de refugiados, que traziam um histórico de perseguição política ou por etnia, bem como os assolados pela fome e pelas doenças, e também aqueles que estão em busca de oportunidades para sobreviverem e alcançarem progressos em suas vidas.

Esse quadro desconfortável ao qual países como Portugal foram expostos, deve ter propiciado esse comportamento diferenciado de seus povos, e basta olhar para o nosso caso, em que estamos recebendo uma grande quantidade de refugiados da Venezuela, que vem causando grandes transtornos aos moradores da nossa cidade fronteiriça, para entendermos e sentirmos na pele o drama dos europeus. Como diziam nossos antepassados: pimenta nos olhos dos outros é colírio.

Texto: Disney Medeiros