Oktoberfest


A Oktoberfest é uma festival de cerveja em Munique, criado pelo rei bávaro Luwdig I, para celebrar sem casamento em 1814. É também uma feira de produtos e diversões celebrada em Munique, estado da Baviera, sul da Alemanha e disseminado em várias partes do mundo. O evento é frequentado anualmente por seis milhões de visitantes de todo o mundo e se inicia desde 1872 sempre no sábado depois de 15 de setembro às 12 horas com a tradicional cerimonia de abertura. Termina no primeiro domingo de outubro – daí o nome Oktoberfest (em alemão, “Oktober” significa outubro, “Fest”, festa ou festival, literalmente “Festa de Outubro”). O preço de um litro de cerveja é tradicionalmente uma questão política: em 2015 o jarro chega a €10,40 (US$ 11,60).

Inspirada naturalmente pela homônima alemã nasceu então, em 1984, a Oktoberfest Blumenau. Naquele primeiro ano, em apenas 10 dias de festa, mais de 100 mil pessoas visitaram o evento.

A Oktoberfest de Blumenau atrai turistas do Brasil e do exterior, especialmente da Alemanha. Mas também de países vizinhos da América do Sul e da América do Norte, sendo considerada a segunda maior festa alemã do mundo, atrás, apenas, da Oktoberfest original, em Munique. Segundo o site oficial do evento, em 2009 a Oktoberfest de Blumenau, atraiu 731.934 visitantes que consumiram pouco mais de 450 mil litros de chope e 19.821 garrafas de cervejas importadas. Atualmente é considerada a maior festa Alemã das Américas, e em 2013 aconteceu entre os dias 3 e 20 de outubro.

Agora, a festa acompanhou as tendências tecnológicas, modernizou-se em vários aspectos e, principalmente, retornou a festejar igualmente todos os elementos da cultura germânica local. A cada ano, mais de 500 mil pessoas visitam a Oktoberfest Blumenau e vivem o amor pelas tradições, música, dança, trajes típicos e gastronomia típica. Tudo isso com muita alegria e, claro, um bom chope. Prosit!

Beba menos, beba melhor!

Para produzir sua própria cerveja entre em contato pelo

e-mail [email protected]

Instagram @roger_santiago_o

#culturacervejeirasr

Texto: Rogério Santiago