A traição

A traição se configura pela perda da lealdade nos relacionamentos em seus mais diversos aspectos. Ela pode ocorrer em todas as circunstâncias da vida humana. Assim, temos traições nos âmbitos conjugal, social (trair uma amizade), nas esferas comerciais ou de trabalho, nos grupos (clubes, religiões, confrarias, política etc.), e em relação à pátria. 

Essa atitude sempre esteve presente na história humana, e podemos encontrá-la nos mais diferentes relatos do passado.

Para os cristãos, o maior exemplo é o de Judas Iscariotes, um dos doze apóstolos, que traiu Jesus por trinta moedas de prata. Relatam os registros canônicos, que ele se enforcou depois disso, condenando sua alma ao inferno, ainda naquela época, Marcus Junius Brutus, membro da aristocracia romana, numa reunião do Senado, apunhalou César, mudando os rumos de Roma, ato que eternizou a frase “até tu, Brutus”.

Viajando no tempo, vimos William Shakespeare, que sempre explorou a traição em suas peças: Rei Lear, Hamlet, Mac Beth, sendo Otelo a mais famosa de todas, traçando um perfil da humanidade.

A Revolução Francesa marcou seu tempo, mostrando ao mundo as entranhas das classes dominantes, sendo que ao redor de Danton e Robespierre, as traições eram moeda corrente, enviando milhares para a guilhotina, que não perdoou nem mesmo seu inventor,  

É famosa a traição de Joaquim Silvério dos Reis, que delatou Tiradentes aos portugueses em troca de posição e de bens, de Hitler, que traiu o acordo com a Rússia, e atacou-a na Operação Barbarossa, pegando-a de surpresa, e assim caminhava a história.

Saindo dos exemplos clássicos, vamos encontrar muitos casos de traições, muitas delas aviltantes dentro do padrão de conduta moral da sociedade. A ética é um conjunto de regras e preceitos, que conduzem o homem no meio em que vive, e, quando ele se distancia desses valores, perde sua decência.   

Quem trai, está em busca de algo mais vantajoso, mesmo que esse ganho seja a própria vingança. No entanto, existem leis cósmicas que reagem a tudo que é feito, e que são responsivas em tempo variável. Dentro da frequência em que se encontra o planeta, essas respostas estão sendo quase que imediatas. Nada ficará escondido “em baixo do tapete”, e a verdade aparecerá em todos os aspectos. A transparência vem como força motriz desnudando o que é falso, dando aval para a justiça agir de forma abrangente e implacável. Acabou a época das condescendências cósmicas, fazendo com que as ações sejam de imediato julgadas, e os veredictos aplicados exemplarmente. Os tempos difíceis que estão nos assolando, induzem a vigiar e orar, mantendo-nos sempre alertas, e críticos às ações humanas. Paz profunda.

Disney Medeiros Raposo