A verdadeira história de Natal diferente: sem Papai Noel, renas e shopping

Vou contar sim, outra vez a história do Natal. Mas prepare-se, porque é uma história diferente. Não é cheia de estrelinhas cantantes e pastorzinhos saltitantes como em presépio, nem tem fadas e duendes ajudando o Papai Noel, como em shopping, mas é a verdadeira história do Natal.

Era uma vez – há muito tempo, sem neve e nem dezembro – alguns homens sábios – ninguém sabe se eram três – nem mesmo alguém sequer escreveu ou mencionou que eram Reis, não sei de onde saíram essas coroas – que chegaram do Oriente a Israel para visitar a criança que tinha nascido para ser Rei de Israel. Como eles souberam do nascimento? Bem, Magos estudam astronomia, (não confundir com astrologia) além da formação deles, foi Deus quem revelou isso e usou uma estrela para guiá-los. Um cometa? Talvez! Pergunto: já viu um cometa que às vezes anda e às vezes para sobre uma casa? Um cometa diferente, pois estava dirigido por Deus para dar uma paradinha em cima de um celeiro bem no centro da cidade de Belém, na Judéia.

Chegando em Jerusalém, os sábios descobriram que estavam com um probleminha. Israel já tinha um rei, Herodes, que não queria nem um pouco descer do trono. Ele ficou perturbado, e não apenas ele, mas toda a população de Jerusalém. Já viu isso? Todo mundo ficar perturbado porque outro Rei iria tomar o lugar de Herodes? Pois é, ninguém queria Jesus. O pessoal era da opinião de que em time que está ganhando bem não se mexe. Esta história você encontra nos Evangelhos, principalmente em Mateus. Em outros textos aparece o que as pessoas de Jerusalém estavam realmente pensando: “Não queremos que este reine sobre nós”. (Lucas 19:14) Isso não é novidade nenhuma. A gente já nasce assim, inimigos de Deus e de Cristo. (Romanos 5:10)

Mas vamos continuar nossa verdadeira história do Natal. O rei Herodes mandou os principais sacerdotes e escribas – os teólogos e doutores da época – pesquisarem o que estava escrito nas profecias dos antigos profetas. Sabe o que acharam? “E tu, Belém, terra de Judá, de modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo de Israel.” (Mateus 2:6) Aí o rei armou um plano. Perguntou aos sábios:

– É esta a interpretação correta? Quando foi que viram a estrela, para poder calcular a data de nascimento do novo Rei? Em seguida pediu que avisassem quando encontrassem a criança. Herodes disse que queria ir até lá adorar o menino, mas o que ele queria mesmo era matá-lo. Percebeu como a história da paixão e morte de Cristo começou muito tempo antes? A verdadeira história do Natal tem seu desfecho na cruz do Calvário. Felizmente os sábios, viram o menino Deus e não fofocaram nada ao Rei. Além disso, cadê a gruta de algumas versões? Bem, Jesus nasceu mesmo num lugar humilde, provavelmente numa cocheira, e seu primeiro berço foi uma manjedoura, era o coxo onde se colocava comida para os animais. Por quê? Oras, porque não havia lugar para Ele em nenhuma estalagem (Lucas 2:6).

Na maioria dos corações das pessoas hoje em 2017, mesmo nesta época do Natal, ainda está escrito manjedouras, ao invés de corações. Neste natal no seu coração está escrito manjedoura? Ou Jesus já escreveu seu nome nele? Na sua ceia de natal você vai receber Jesus e colocá-lo dentro do seu coração ou nos pratinhos onde seu cachorrinho ou seu gatinho que você adora chamar de filhos comem? Pense nisso e tente colocar Jesus no melhor lugar da sua vida em 2018.

Abraços do Bispo Cláudio Gonçalves e Feliz Natal a todos.