AgroNotícias por Mauricio Picazo Galhardo

TOCANTINS. O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou quinta-feira dia (15) da cerimônia de abertura da Colheita de Grãos no Estado do Tocantins – Safra 2017/18, no município de Caseara, acompanhado do governador do Estado, Marcelo Miranda. O evento foi promovido pela Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja) Tocantins em parceria com o governo estadual e com a Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária do Estado.

AQUICULTURA. Os aquicultores brasileiros estão reivindicando que o setor volte a ser regulado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em audiência com o ministro da pasta na sexta-feira (16), o presidente da Peixe BR (Associação Brasileira de Piscicultura), Francisco Medeiros, argumentou com o fato de que a aquicultura é uma atividade do agronegócio que produz commodities, sendo que todas as questões de licenciamento, produção e processamento já são disciplinadas pelo Mapa.

CRÉDITO. Grandes e médios produtores rurais tomaram R$ 85 bilhões em empréstimos por meio do crédito oficial na atual temporada agrícola 2017/2018. O montante referente a financiamentos de custeio, comercialização, industrialização e investimento de julho/2017 a janeiro/2018 representa aumento de 14% em relação ao que foi financiado em igual período da safra anterior. Os dados foram divulgados pelo Ministério.

ARGENTINA. Cerca de 43% das exportações argentinas de 2017 foram geradas pela produção de grãos e derivados. Assim, US$ 2 de cada US$ 3 que entram na Argentina por exportações correspondem ao campo, agroindústria e aquicultura, segundo um relatório da Bolsa de Comércio de Rosario. Os economistas Julio Calzada e Federico Di Yenno consideraram um estudo que “as cifras das exportações de 2017 mostram um grande aporte do que faz o campo e a agroindústria na balança comercial da Argentina”. Consideraram que há um aporte de US$ 4 de cada US$ 10 por receitas de exportação e que “outros indicadores sustentam a significativa contribuição do setor”.

COMMODITIES. Quando começar a colheita nos Estados Unidos, haverá o “início de um aumento gradual nos preços que se espera que continuem durante a década”, terminando com a queda de cotações iniciada em 2013. É o que apontam projeções do Departamento da Agricultura Dos Estados Unidos (USDA). Os preços da maioria dos cultivos continuam abaixo da média dos últimos 10 anos. Por outro lado, para maximizar os lucros, os produtores norte-americanos plantarão mais soja, fazem dela o principal cultivo, enquanto plantam menos milho e trigo.

VARIAÇÃO. O índice que mede a variação dos preços recebidos pelos produtores paulistas (IqPR) registrou alta de 0,77% no mês de dezembro de 2017, na comparação com o mês anterior, informou o Instituto de Economia Agrícola (IEA), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os produtos que apresentaram as maiores elevações foram: banana nanica (23,29%), laranja para mesa (15,74%), laranja para indústria (15,11%) e amendoim (4,21%).

VALOR DA PRODUÇÃO. A primeira estimativa do valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2018 é de R$ 516,6 bilhões, abaixo 4,9% do valor de 2017 (R$ 543,3 bilhões). As lavouras apresentam redução real de 6,2% e a pecuária, de 2,3%. Os dados foram divulgados dia (16) pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

(Texto(s): Mapa, Leonardo Gottems-Agrolink, Secretaria da Agricultura S.Paulo)
Email: mauricio.picazo.galhardo@hotmail.com.