Alunos de Mairinque trabalham a arte pré-histórica em atividade extraclasse

Os alunos do 6º ano da Escola Municipal Horácio Ribeiro, Bairro Setúbal, realizaram na faixada da instituição de ensino e em algumas paredes internas, releituras de Pinturas Rupestres. Orientada pela professora de história, Fernanda Federighi, a atividade extraclasse compõe os assuntos discutidos em sala de aula.

Utilizando tintas à base de terra, produzidas pelos próprios estudantes, as pinturas variam entre desenhos do sol, animais selvagens, pessoas em situação de caça e símbolos abstratos que, segundo estudiosos, fazem alusão aos calendários astronômicos. Essa fase do trabalho foi supervisionada pela professora de arte, Wérica Christina Bispo, que também abordou o tema dentro da sua área de conhecimento.

Os estudantes também produziram utensílios pré-históricos e diversos outros produtos como fogueiras, cavernas e rios, todos por meio de materiais recicláveis, para exemplificar os conceitos abordados nos livros de história.  Além disso, foi organizada uma atividade de socialização, na qual frutas, legumes e verduras foram levados à escola, para que as meninas escondessem e os meninos saíssem em busca.

De acordo com a Professora Fernanda, a intenção do projeto é trabalhar, através de materiais de fácil acesso, o conteúdo dado em sala de aula. Para ela, essas atividades auxiliam no aprendizado, pois necessitam de um envolvimento total dos estudantes. “Eles aprendem usando todos os sentidos. Vendo, ouvindo e sentindo aquilo que produzem, seja através de brincadeiras como a feita no dia de socialização ou pela pintura das paredes. Então foi muito bom vê-los se divertindo em grupo e aprendendo”.

Chamadas de Arte Rupestre, essas criações foram feitas durante a Pré-História, há pelo menos 30 mil anos, e são os principais objetos de estudo para definir a cultura dos povos da antiguidade. No Brasil, diversos sítios arqueológicos abrigam as gravuras, como é o caso do Parque Nacional da Serra da Capivara e Parque Nacional Sete Cidades (Piauí), Cariris Velhos (Paraíba), Lagoa Santa (Minas Gerais) e Rondonópolis (Mato Grosso).