Cadeado emocional: Ciúmes

Uma imagem interna para compreendermos melhor o sentimento de ciúmes, é como se amarrássemos um cadeado emocional nas nossas relações e quebrássemos a chave. Impedindo que a pessoa que nós amamos se sinta livre para viver tudo o que quer.

Se você se sente carente de atenção de alguém, isso significa que você espera que essa pessoa lhe dê algo que você mesmo não está dando para si. Faz sentido? Você consegue reconhecer isso em você agora?

Ciúmes é diretamente ligados a um tipo de amor chamado Amor de eros que é o “DESEJO” de atenção e vem misturado à sensação de carência. Na verdade, você pode considerar que o desdobramento do ciúmes, vem a carência e apego.

Considere que o ciúmes é o incômodo que tem origem na sua criança interior, e ver que a atenção que poderia ser dada à você é dada à outra pessoa. O apego vem para  querer estar o tempo todo possível com alguém na tentativa de dar atenção para aliviar o incômodo da nossa criança ferida.

A carência é a dor da infância de querer mais atenção do que se recebe, que na verdade tende a nunca ser suficiente.

Se não curar a origem o ciúmes se desenvolve para apego e carência. Considere que estamos falando da sensação por trás desses estados emocionais.

Geralmente as estratégias da nossa criança interior, é se afastar emocionalmente para não sentir ciúmes, como tentativa de prevenir o medo de ser abandonado ou uma preparação para ela abandonar antes de se conectar com o sentimento que protege e não sabe lidar com a “tristeza”.

Você gostaria de quebrar esse cadeado emocional? Provavelmente, se você não sabe lidar com esses sentimentos e sensações, você pode atrair pessoas que vão lhe proporcionar o sentimento de abandono que você mais quer evitar como forma de aprendizado. Que tal olhar isso como uma oportunidade de se curar definitivamente e aprender com a escola da vida? Até porque você continua a atrair relações que lhe proporciona medo de perder, não é verdade?

Então, começar pela “aceitação” isso facilita a mudança, incluindo essa dor da criança, e tratando a raiz, você dá liberdade para florescer o novo nas suas relações. Mas aceitar o quê? Aceitar que você pode ser abandonado e que está tudo bem. Basta reconhecer quem em você tem medo de ser abandonado. E a única pessoa no mundo que pode acolher é você mesmo. Envie uma mensagem solicitando mais informações sobre o Curso de Constelação Familiar  ou por quatro encontros do processo sistêmico, focando um caminho de solução na sua vida pessoal, saúde, relações de casal e família.

Thiago Souza – Terapeuta Familiar Sistêmico

  • Instagram: @thiagosouza.processo.sistêmico
  • Fone Fixo (11) 2428-2192
  • WhatsApp (11) 99344-1412