Chuvas de abril ficam 38% abaixo da média histórica do mês em Mairinque

Com agravamento da estiagem, Saneaqua reforça necessidade de uso consciente de água

As chuvas registradas em abril ficaram abaixo do volume esperado para o mês em Mairinque. Com uma precipitação de apenas 29,84 milímetros – de acordo com dados do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo DAEE) e que são acompanhados pela equipe de Operação da Saneaqua – o acumulado mensal ficou 38% abaixo da média histórica de 67,59 milímetros, registrada para o mês de abril. 

Desde o início deste ano, Mairinque tem o registro de 269 milímetros de chuva. É o menor volume acumulado para o primeiro quadrimestre dos últimos quatro anos na cidade. Com menos precipitações, antecipando o período de estiagem de 2021, a atual seca deve ser compreendida como um importante sinal de alerta. 

A Saneaqua, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto no município, monitora o comportamento hídrico dos mananciais e poços de captação de Mairinque. Atualmente a captação do manancial Fiscal está com 3,35 metros, sendo que o mínimo para operação do abastecimento é de 2,5 metros, e do Carvalhal está com 2,0 metros, o mínimo operacional é de 1,7 metros. Os dois juntos abastecem, aproximadamente, 50% da cidade, sendo 22% Carvalhal e 78% Fiscal. O município conta ainda com dezoito poços de captação subterrânea que complementam o abastecimento da cidade. 

“O atual nível dos mananciais ainda está adequado e é suficiente para manter o abastecimento com regularidade no município, mas sua redução de forma antecipada neste ano e a escassez de chuva podem agravar tais condições”, afirma Luana Ronconi, gerente de operações da concessionária. 

À vista de um possível agravamento da disponibilidade hídrica em 2021, a Saneaqua, diante de seu compromisso com a população, volta a reforçar a necessidade do uso consciente de água, especialmente após abril ter registrado um consumo acima da média para o período. No mês, a população de Mairinque consumiu 279 milhões de litros de água; 6,5 milhões de litros a mais que o consumo médio dos quatro primeiros meses do ano, que é de 286 milhões de litros de água. 

“Neste momento, temos que unir esforços e agir preventivamente para enfrentar um período mais crítico da estiagem, que ainda está por vir. Recomendamos o consumo sustentável da água, sem desperdícios. A participação da comunidade nesse contexto é fundamental para evitar o agravamento de medidas mais restritivas ao consumo”, reforça a gerente. 

A concessionária também já colocou em prática ações preventivas de um plano de contingência, com objetivo de se antecipar com medidas que têm papel fundamental para o enfrentamento de períodos de estiagem. 

“Estamos empenhados na execução de uma série de ações e investimentos, como a instalação e substituição das redes de água do município e o combate a vazamentos e ações para redução das perdas de água. Preservar nossos recursos hídricos, fazendo uso mais eficiente e consciente da água, é de interesse de todos nós, concessionária e população”, afirma Luana. 

DICAS PARA UM CONSUMO CONSCIENTE DE ÁGUA 

· Mantenha a torneira fechada ao escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça. Ao escovar os dentes com ela aberta, você gasta cerca de 13,5 litros de água em apenas dois minutos. 

· Tome banhos curtos. Cinco minutos são suficientes para fazer a limpeza do corpo e, enquanto você se ensaboa, o registro deve ser fechado. Isso gera uma economia de até 30 mil litros no ano. 

· Preste atenção e conserte eventuais vazamentos na sua casa. Um buraco de apenas 2 milímetros na tubulação de uma única casa desperdiça 3.200 litros de água por dia. 

· Organize a louça antes de lavá-la. Use uma bacia para deixar os utensílios de molho, para amolecer a sujeira, lave toda a louça e enxágue tudo de uma única vez. Isso também ajuda na economia. 

· Converse com as pessoas à sua volta sobre o consumo consciente de água, incentive ações de economia e redução no uso desse bem tão valioso.