Cidade Inteligente por Mauricio Picazo Galhardo

Então olhei para os céus e vi a cidade…
– Quero saber apresenta:
“… as normas para produção artesanal de derivados de leite necessárias à concessão do Selo Arte foram publicadas na segunda-feira (30), no Diário Oficial da União. A Instrução Normativa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), estabelece o regulamento técnico de boas práticas agropecuárias destinadas aos produtores rurais fornecedores de leite para fabricação artesanal de alimentos de origem animal. A concessão do Selo Arte permitirá a venda interestadual de produtos alimentícios artesanais, como queijos, embutidos, derivados de mel e de pescados. A certificação é um sonho antigo de produtores artesanais, que poderão acessar mais mercados e aumentar sua renda. O regulamento prevê os requisitos higiênico-sanitários mínimos necessários às propriedades rurais fornecedoras de leite para produção de alimentos artesanais. Caberá aos estados e aos Distrito Federal concedentes do Selo Arte a avaliação do cumprimento do regulamento de boas práticas…”
* O Selo Arte visa atender a demanda dos produtores?

* O Mapa está atrasado nesses trâmites?

* A burocracia no Ministério é grande?

A higiene é um pré-requisito para os produtores que trabalham com leite e derivados. Por que? Porque o leite é um produto pericível e que se decompõem muito facilmente. Então é preciso todo um regulamento técnico que precisa ser seguido à risca pelo produtor, não apenas de leite e derivados mais de alimentos em geral. Os alimentos são sensíveis, eles perecem. O Selo Arte é um sonho antigo dos produtores e permitirá um incremento nas vendas inclusive em outras cidades e estados. É muito bem vindo o Selo Arte, num momento em que a saúde e cada centavo é muito importante para todos nós.
– Por hoje é isso. Boa semana, forte abraço e até a próxima palavra cidade inteligente.