Cidade Inteligente por Mauricio Picazo Galhardo

Então olhei para os céus e vi a cidade…
– Quero saber apresenta:

“… há décadas a CEAGESP sofre com alagamentos e prejuízos durante a temporada de chuvas; por causa dos temporais que atingem São Paulo, o local está fechado para a entrada e saída de mercadorias. Há pelo menos duas décadas no período de chuvas as capas dos jornais são as mesmas: melancias boiando e boxes alagados. A Ceagesp da Vila Leopoldina é a maior central de abastecimento da América Latina, com área total de mais de 630 mil metros quadrados. Emprega mais de 30 mil pessoas e comercializa três milhões de toneladas de alimentos ao ano, com movimentação financeira de cerca de R$ 7,5 bilhões no período. O encerramento das atividades na atual Ceagesp só acontecerá após a conclusão do novo entreposto, que deverá seguir diversos padrões de qualidade e exigências logísticas que impeçam episódios de desperdício e insegurança para os produtores, comerciantes e consumidores…”
* Isso é um problema crônico?

* É muito difícil para resolver?

* Por que não resolve?

Quando chove em São Paulo, a velha história das enchentes se repete. O que então se tem que fazer. Parece fácil, escrever é fácil, mas fazer é difícil. A água não tem a vazão natural que tería em outro local. Vamos imaginar a cidade como uma grande quadra de esportes. A água não tem para onde ir. Não flui naturalmente, então fica tudo debaixo de água. A Ceagesp, é um destes locais problemáticos da cidade. Realmente o poder público já devería sim ter arrumado um novo lugar para colocar a Ceagesp. Enchentes, é a velha história se repetindo sempre. Infelizmente.
– Por hoje é isso. Boa semana, forte abraço e até a próxima palavra cidade inteligente.