Cidade Inteligente por Mauricio Picazo Galhardo

Então olhei para os céus e vi a cidade…
– Quero saber apresenta:

“… à seguir a matéria publicada no jornal francês Le Monde da semana passada, assinada pelo jornalista Bruno Meyerfeld: Tereza Cristina, a “Sra. Desmatamento” de Jair Bolsonaro. A temível e influente Ministra da Agricultura do Brasil é uma dama de ferro dedicada ao agronegócio, cuja política acaba de levar a um novo recorde de desmatamento. Tereza Cristina, 65 anos, ministra da Agricultura todo-poderosa e, sem dúvida, a figura mais influente do governo da extrema direita. Nós a conhecemos em novembro de 2019, em uma tarde tempestuosa em seu vasto ministério de vidro e concreto, situado no eixo monumental de Brasília. Polida, precisa, atenciosa, com seus 1,56 cm de altura e seus óculos sérios, “Tereza” parece tão pouco com seu chefe. ” Ela é o rosto respeitável desse governo de loucos”, observa um observador. Tudo a predestinou para essa posição. Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (por seu nome completo) nasceu em 1954 em uma família do interior do Mato Grosso do Sul. Formada em agronomia, trabalhou por um tempo em empresas agrícolas privadas …”

* O Brasil é um desconhecido lá fora?
* Carnaval, futebol, samba, mulatas e novela, isso é o Brasil lá fora?
* Ociosidade, e nada sério, é a realidade aqui?

Infelizmente, a imagem do Brasil lá fora foi construída em cima do futebol, carnaval, mulatas, samba, e novelas. Na verdade o trabalho agora é desconstruir essa imagem horrível de ociosidade, preguiça, praia e irresponsabilidade. Essa imagem está também aqui dentro do Brasil em cada brasileiro. O trabalho dessa desconstrução, é árduo e grande. Nós precisamos fazer uma nova fotografia do Brasil e divulgá-la no mundo inteiro.  A consciência rural e a mesa, foi perdida com a criação das cidades. Nós perdemos e esquecemos o vínculo da terra, da lavoura, do sol, da chuva, – com a nossa alimentação diária. O dinheiro como uma resposta urbana, da cidade, para tudo, inclusive para a comida nos fez esquecer da terra, do campo. Então o dinheiro, o asfalto, o concreto, o plástico apagaram o vínculo da presença da terra, do agro, da semente, da planta, do cheiro do campo, de nossa consciência rural e vida diária. Construindo uma imagem nova do Brasil aqui dentro e lá fora; certamente que os concorrentes ficarão calados.

– Por hoje é isto. Boa semana, forte abraço e até a próxima com uma palavra cidade inteligente. A cidade e o campo unidos pelo bem comum.