João de Candinha o único são-roquense que ganhou a Corrida de Aleluia, em 1939 | O Democrata

Disputada desde 1938, a Corrida de Aleluia foi vencida apenas uma vez por um atleta de São Roque. João de Candinha cruzou em primeiro lugar na prova disputada no dia 8 de abril de 1939. Uma vitória apertada apenas 5 segundos à frente de Antonio Aparecido Tanzi (Tiro de Guerra de São Roque). Na primeira edição, Candinha foi o 9º colocado na prova vencida por Santa Fé Graff de Oliveira (Clube Caieira) que estava doente e não disputou a prova. A Corrida de Aleluia era organizada pela Sociedade Recreativa Italiana Guglielmo Marconi.

João de Candinha competiu pelo Bandeirantes Futebol Clube (Bairro do Marmeleiro) e venceu a prova de 7 quilômetros com quatro voltas no seguinte percurso: Largo São Benedito, XV de Novembro, Praça da Matriz, Sete de Setembro, Praça da República, Rui Barbosa, Travessa Caixa D’Água (atual Pedro Conti), 24 de Outubro (atual Marechal Deodoro). A chegada foi na Praça da Matriz.

O arquivo do Jornal O Democrata registra a grande vitória João Baptista que nasceu em 1º de julho de 1915, mas na Carteira Profissional está escrito João Batista. Filho de Cândido Francisco e Galdina Efigênia e que foi funcionário da Pedreira Walter, no Marmeleiro.

“Em todas as voltas o nosso campeão esteve sempre em primeiro ou em segundo lugar e só empregou maior esforço quando viu-se ameaçado por Tanzi na última volta e quase no final do percurso. Candinha é sem dúvida o nosso corredor de maior classe e mesmo depois de ter vencido os difíceis 7 mil metros mostrou-se disposto não dando aparência de cansaço.”

João de Candinha é um dos grandes nomes do atletismo de São Roque. Disputou várias edições da Corrida de Aleluia e da São Silvestre conseguindo resultados expressivos por se tratar de uma atleta amador, além de competir pelo Ypiranga de São Paulo.

Em várias oportunidades, foi homenageado em edições da Corrida de Aleluia como na edição de 1966 quando chegou a realizar uma apresentação especial. Em 2011, por iniciativa do vereador Júlio Mariano, ficou denominado “João de Candinha” a premiação concedida aos primeiros colocados de todas as categorias da Corrida de Aleluia, algo que nem sempre é respeitado.

No Bairro do Marmeleiro, também foi homenageado com nome de rua nos anos 80 em projeto de lei do vereador José Carlos Baroni Garcia (Zé Balaio).

Curiosamente, João de Candinha morreu em um 31 de dezembro quando era disputada a Corrida de São Silvestre. Naquela noite de 1980, o Brasil voltaria a vencer a prova depois de 34 anos com José João da Silva.

Vander Luiz

Jornal O Democrata São Roque

Fundado em 1º de Maio de 1917

odemocrata@odemocrata.com.br
11 4712-2034
Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 04
Centro - São Roque - SP
CEP 18130-070
Copyright 2021 - O Democrata - Todos os direitos reservados