Plano Safra destina R$ 251 bi para apoiar agropecuária

PLANO SAFRA 2021/2022

O governo federal lançou o Plano Safra 2021/2022, com R$ 251,22 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional. O valor reflete um aumento de R$ 14,9 bilhões (6,3%) em relação ao Plano anterior. O Tesouro Nacional destinou R$ 13 bilhões para a equalização de juros. Os financiamentos poderão ser contratados de 1º de julho de 2021 a 30 de junho de 2022. A cerimônia ocorreu no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro e da ministra Tereza Cristina.

TERRAS INDÍGENAS

O debate sobre a demarcação de terras indígenas no Brasil já dura quase 15 anos. A Câmara dos Deputados aprovou o mérito por 40 x 21 votos à favor do substitutivo ao Projeto de Lei, apresentado pelo deputado Arthur Maia (DEM-BA), na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Os destaques ao relatório ainda precisam ser analisados. O relatório institui a data da promulgação da Constituição Federal (5 de outubro de 1988) como marco temporal para o reconhecimento de ocupação de terras por indígenas, de acordo com o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o tema.

SOCIEDADE RURAL

A Sociedade Rural Brasileira (SRB) considerou positivo o anúncio do Plano Safra 2021/2022, feito pelo Ministério da Agricultura, em Brasília. Porém, entende que o volume de recursos destinado ao programa, de R$ 251,22 bilhões, 6,3% maior que o do ano passado, não acompanhou o aumento dos custos de produção no último ano. Do total anunciado, R$ 177,78 bilhões são para custeio, com taxa de juros entre 3% e 7,5% e R$ 73,4 bilhões para investimento, com taxa de juros entre 4,5% e 8,5%.

PIB DO AGRO

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou para cima a nova estimativa do PIB do setor agropecuário para 2021. Os dados, divulgados, mostram que os pesquisadores revisaram de 2,20% para 2,60% a estimativa de crescimento do PIB do setor para este ano, na comparação com 2020, com crescimento de 2,70% para a produção vegetal e 2,50% para a produção animal. O que motivou a revisão para cima foi a melhora no resultado esperado, neste ano, de itens importantes tanto na produção vegetal como animal.

ALYSSON PAOLINELLI

A Câmara dos Deputados realizou uma cerimônia em homenagem a Alysson Paolinelli, ex-deputado federal, ex-ministro da Agricultura e fundador da Embrapa, que concorre ao prêmio Nobel da Paz de 2021. Paolinelli foi indicado à premiação por sua contribuição e dedicação à agricultura tropical, segurança alimentar e sustentabilidade que as novas tecnologias trouxeram à produção de grãos no Cerrado brasileiro, em larga escala.

EXPECTATIVAS

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil avaliou que o Plano Agrícola e Pecuário 2021/2022 teve um bom resultado de forma geral e as medidas foram anunciadas dentro das expectativas do setor. Entre os pontos positivos, a entidade destaca o aumento dos recursos para pequenos e médios produtores, para a produção sustentável pelo Programa ABC e aumento dos investimentos.

TOMATE

Com o atraso na maturação dos tomates em maio e a concentração da oferta entre o fim do mês e o início de junho, quando as temperaturas aumentaram, o preço do tomate pago ao produtor neste mês (até o dia 21) está 26% inferior ao de maio e 9% abaixo das estimativas de custo de produção, com média de R$ 27,30/caixa (ponderada pela classificação). Além disso, segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, mais praças passaram a colher tomates no período, o que ajudou a pressionar os valores na primeira quinzena. 

AGRICULTORES

Os países das Américas deram um passo fundamental para definir as mensagens convergentes que apresentarão ao resto do mundo na Cúpula dos Sistemas Alimentares de 2021, convocada pela ONU, após representantes de governos do hemisfério chegarem a um consenso para colocar a agricultura e os agricultores em primeiro plano, de forma a garantir a segurança alimentar e nutricional do planeta.

ESTADOS UNIDOS

Liderados pelo Departamento de Agricultura dos EUA, os Estados Unidos estão se juntando a uma coalizão global voltada para a melhoria da nutrição, saúde e educação de crianças e adolescentes vulneráveis ​​em todo o mundo, anunciou hoje o secretário da Agricultura, Tom Vilsack. A coalizão, chamada “Refeições Escolares: Nutrição, Saúde e Educação para Todas as Crianças”, será oficialmente lançada na Cúpula dos Sistemas Alimentares das Nações Unidas em setembro. 

Com assessorias de comunicação – Edição jornalística: Mauricio Picazo Galhardo – mauricio.picazo.galhardo@gmail.com