Estudante de Araçariguama se exibe com faca e outra faz ameaças através de rede social

Uma estudante de 16 anos de idade e pelo menos outros cinco adolescentes – 3 meninas e 2 meninos – estão sendo ouvidos pela Polícia Civil de Araçariguama depois que uma briga ganhou proporções preocupantes com ameaças de morte e exibição de arma branca. De acordo com a direção da escola Humberto Victorazzo, onde os seis adolescentes estudam, uma das meninas envolvidas na briga, que ocorreu há pelo menos duas semanas, fez as ameaças pelo celular e tirou foto de uma colega que portava a faca presa à cintura. A Polícia Civil de Araçariguama está investigando o caso.

A briga

Há pelo menos 15 dias os seis adolescentes se envolveram numa briga – a polícia está apurando a participação de cada um – quando foi necessária a intervenção policial para, segundo consta, acalmar os ânimos dos estudantes. Desde então, uma das adolescentes, que segundo a Delegada de Polícia Dra Bruna Racca, possui histórico problemático, passou a ameaçar uma das garotas. Mensagens copiadas pelas autoridades do celular da menor revelam o grau de violência. Uma das mensagens tem o seguinte teor: “Vó (sic) enfiar uma faca no meio da garganta dela e subir rasgando…e quebrar todos os dentes pra para de ser covarde…me aguarde quarta vai ter vadias”.
No começo da noite de hoje, 15, a reportagem ouviu a Diretora da Escola Humberto Vicctorazzo, Professora Deise Gregório Schneider, que informou que as brigas não são tão frequentes, mas quando ocorrem envolvem mais meninas do que meninos. “Quem briga mais são as meninas. Uma esbarra na outra e já ficam se encarando. Estou ficando assustada, pois não estou acostumada com isso, de Osasco de onde vim, isso não é normal”, disse a diretora.

Faca na cintura

Em outra mensagem no grupo do Facebook, aparece uma foto que a adolescente fez de sua colega com uma faca presa à cintura. A investigação quer apurar se a garota ameaçava mesmo utilizar a arma contra outra pessoa. Segundo a delegada, não é a primeira vez que a menina aparece portando uma faca. “Ela já foi flagrada com uma faca serrilhada, aquelas pequenas de cozinha”. A delegada disse ainda que em certas ocasiões a menina chegou alcoolizada na escola. Os fatos estão sendo investigados. “Todos os adolescentes envolvidos irão responder por Lesão Corporal Dolosa e Ameaça, dependendo do que for apurado pelas investigações”, concluiu a Dra Bruna.

Preocupação

Durante a entrevista a Diretora Deise Gregório disse à reportagem que se sente preocupada com a situação na escola. “No período da noite trabalhamos com certo medo, embora a escola não tenha nenhum histórico de violência. Mas quando vamos embora, por volta das 11 horas da noite, ficamos sozinhas”, comentou. Ela disse ainda que gostaria de ter a polícia mais presente. “A Ronda Escolar voltou agora”, explicou. Ela também destacou a necessidade de uma parceria mais atuante junto ao Conselho Tutelar.

Quanto às brigas, ela diz que a escola quer buscar soluções. “Essa tendência de violência entre as adolescentes tem deixado a escola preocupada. Estamos buscando alguns caminhos para tratar do assunto de uma forma bastante abrangente. Num primeiro momento realizaremos um projeto para trabalhar o problema reunindo a Direção, professores, funcionários e estudantes. Temos que buscar alternativas para impedir que o problema aumente”, contou a diretora.

Tal fato ocorre num momento em que toda a sociedade brasileira está assustada e aterrorizada com a violência que envolve estudantes dentro e fora dos prédios escolares, como foi na última terça-feira na cidade de Suzano, onde dois ex-alunos mataram 5 estudantes e duas funcionárias da escola estadual Raul Brasil e depois restaram mortos. Por esse motivo, a foto de uma adolescente armada – seja em tom ameaçador ou não – desperta preocupação nos pais e responsáveis por alunos e também nas autoridades competentes e deve ser apurado com o devido rigor. No mais, a prevenção, o ombro amigo e atividades que possam levar esclarecimentos aos jovens, devem ser prioridade sempre.

Fonte: Gazeta de Araçariguama