Especialistas e autoridades de saúde defendem o uso de máscara para todos como forma de conter o avanço do coronavírus

Dentre tantas recomendações das autoridades sanitárias à população, em virtude da prevenção ao covid-19, usar máscara é o único hábito que muitos moradores não têm adotado. Talvez isso ocorra porque não existe um consenso mundial sobre seu uso, uma vez que a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a maioria dos países ocidentais não o aconselham a diversas pessoas.

Mas, os asiáticos argumentam que esse acessório é imprescindível. E estes mesmos países são os que melhor contiveram a pandemia.

Sui Huang, pesquisador do Instituto para os Sistemas de Biologia (ISB, na sigla em inglês), escrevia recentemente que “a recomendação oficial nos Estados Unidos (e outros países ocidentais) de que o público não deve usar máscaras foi motivada pela necessidade das guardá-las para os trabalhadores sanitários. Não há respaldo científico para a afirmação de que ‘não são efetivas’. Pelo contrário, em vista do objetivo declarado de achatar a curva, qualquer redução adicional, mesmo que parcial, da transmissão seria bem-vinda, inclusive as oferecidas por máscaras cirúrgicas simples ou por máscaras que não gerariam um problema adicional de fornecimento”.

Na mesma linha, George Gao, chefe do Centro Chinês para o Controle e Prevenção de Doenças, ressaltou para a revista Science que, em sua opinião, “o grande erro nos EUA e na Europa é que as pessoas não usam máscaras”.

“Este vírus é transmitido por gotículas e contato próximo. As gotas desempenham um papel muito importante: é preciso usar máscara porque, quando você fala, sempre saem gotas de sua boca. Muitas pessoas têm infecções assintomáticas ou pré-sintomáticas. Se usarem máscaras faciais, você pode evitar que as gotículas que transportam o vírus escapem e infectem os outros”, finalizou George.

Máscaras caseiras

No Brasil, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, tem defendido que a população fabrique máscaras caseiras como forma de aumentar a “barreira física” contra o vírus. Ainda que não sejam tão eficientes como as profissionais, eles podem aumentar o nível de proteção se forem usadas corretamente.

Segundo a pasta, para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações simples: ter ao menos duas camadas de pano (ter dupla face de tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos), ser desenhada e higienizada corretamente e jamais ser compartilhada. As máscaras caseiras devem ser individuais e devem ser feitas de modo a cobrir totalmente a boca e nariz e se ajustar bem ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.