Todas as vidas importam

Uma onda de protestos está tomando conta de todo o mundo, após a divulgação de um vídeo que mostra um homem negro sendo imobilizado por um policial branco com os joelhos em seu pescoço, em Minneapolis, nos Estados Unidos. O caso aconteceu no dia 25 de maio. O ex-segurança George Floyd, que tinha 40 anos, foi levado inconsciente por uma ambulância logo após a abordagem policial e foi declarado morto ao chegar no hospital. No vídeo feito por uma testemunha, que mostra Floyd imobilizado, o policial aperta durante 8 minutos e 46 segundos o pescoço do homem, que diz mais de uma vez que não consegue respirar. Nos minutos finais, Floyd não se mexe mais. Segundo a polícia local, ele foi detido por supostamente usar notas falsas em um mercado.

Em meio à pandemia do coronavírus, que assola o mundo desde novembro do ano passado, o preconceito ainda está matando. Em um mundo onde a dor, a perda e o medo tomam conta de milhares de corações, a bandeira contra o racismo precisou ser levantada com toda força. Uma vida tirada sem nenhuma explicação. A cor da pele que ainda enfrenta caminhos difíceis, e ainda em meio a uma sociedade afrontada pelo vírus arrebatador.

Ao todo o Brasil já tem mais de 580 mil casos confirmados de coronavírus e 32 mil mortos. Pessoas que também podem ter perdido suas vidas pela falta de consciência de muitas outras. Mesmo em meio a números tão assustadores, que representam vidas, histórias e sofrimento para famílias, muitos ainda não respeitam o distanciamento, não fazem a higiene correta, não estão se isolando. Saem de suas casas e se aglomeram sem necessidade. Podem não manifestar a doença, mas levam este vírus para outra pessoa com a saúde mais frágil.

Nesta semana, em que o comércio reabriu em nossa região, foram muitas as filas, as aglomerações e o desrespeito. A consciência precisa ser de cada um. O povo brasileiro precisa se reeducar e entender que agora o pouco que cada um faz vai gerar o resultado do coletivo. Proteger a si mesmo é um ato de amor com o próximo também. Todas as vidas importam e temos que lutar para preservá-las. Não é hora para preconceito ou egoísmo. O que o mundo mais precisa é de amor e união. Coloque a consciência em todas as ações.