Agrofloresta mais alimento e diversidade

O sistema agroflorestal (SAF) utiliza os conceitos de agroecologia aplicados ao cultivo em consorcio com a floresta, esse manejo é importante na recuperação de áreas que foram desmatadas e para agricultores que querem obter mais produtos em um menor espaço. Esses sistemas misturam, no mesmo espaço e ao mesmo tempo, cultivos agrícolas com espécies arbóreas. As espécies arbóreas utilizadas podem ser nativas do bioma ou região (local) onde os SAFs serão implantados, mas também podem ser espécies vindas de fora (exóticas), desde que sejam adaptadas ao solo, clima e local. Os cultivos agrícolas utilizados entre as árvores podem ser os mais diversos possíveis, desde espécies de ciclo curto, como hortaliças, até espécies semiperenes e perenes, incluindo cereais, tubérculos, legumes e frutíferas em geral.

As árvores são grandes aliadas do clima, conservação da água e berço da biodiversidade, além de produtoras de energia renovável e madeira. Mas são, principalmente, grandes produtoras de alimentos.

Agrofloresta é a integração e interação entre preservação e conservação, recuperação e produção. Para isso é importante potencializar a produção das árvores nativas locais, e introduzir algumas espécies de outras regiões que se adaptam às condições locais. As agroflorestas são sistemas agroecológicos altamente desenvolvidos e sustentáveis. A diversidade de espécies nos sistemas (plantas, microorganismos, insetos, animais, biomassa, entre outros) é fator fundamental para sua própria sustentação e continuidade.

A produção de folhas, galhos e outros materiais (biomassa) alimentam e dá subsidio para a vida no solo. Assim, ao passar dos tempos vai aumentando a fertilidade natural do solo. A diminuição contínua e acelerada das matas nativas de todos os biomas no Brasil está impactando de forma alarmante os recursos naturais, diminuindo as nascentes, afetando a oferta de água, empobrecimento do solo, fauna e flora. Em SAFs há a infiltração e a manutenção da água no solo, ao contrário da agricultura convencional, o que mantêm o solo úmido. Já que as agroflorestas conciliam algumas iniciativas agrícolas adaptadas à região com o componente florestal, mantendo o solo coberto, protegido e úmido, formando microclima mais ameno e agradável, preservando o ambiente em equilíbrio, a exemplo do sistema natural. 

Vantagens do sistema agroflorestal:

• Diminui o risco de perdas de cultivos solitários (monoculturas).

• As plantas servem de quebra-vento umas das outras.

• Diminuição de ataques de doenças e insetos prejudiciais, devido a uma maior diversidade de plantas.

• Aumento na matéria orgânica do solo.

• Maior manutenção da água no sistema.

• Ocorre a produção o ano todo, mantendo uma renda mais estável.

Em um país onde existem tantas desigualdades, iniciativas de fortalecimento da agricultura familiar, orgânica, agroecológica, são fundamentais para promover o cuidado e a propagação de alimentos sem adição de insumos químicos. Além da possibilidade de fortalecerem os agricultores locais, bem como, garantindo a todos uma alimentação saudável e sustentável.

Silvia Hermida – Bióloga e Produtora Rural

Fonte: MOURA,M.H, et al,. Agrofloresta para todos. Brasilia: Emater-DF, 2010. 44p.

Toda quinta-feira os cidadãos de São Roque têm a oportunidade de interagir e adquirir produtos produzidos localmente com manejo agroecológico na Feira Agroecológica de São Roque, que ocorre na Av. 3 de Maio, 900 das 8h até as 12h. @feiraagroecosaoroque