Animais que auxiliam sua horta | O Democrata

Quem gosta de cultivar uma horta e jardim ou produz alimentos para seu sustento, sabe que terá a visita constante de alguns insetos. É comum que em um primeiro momento as pessoas saiam a matá-los acreditando que esses animais irão prejudicar suas plantas. Em alguns casos estão certos, porém nem sempre, alguns desses bichos podem ser benéficos para a produção agrícola e manter alguns deles em seus cultivos é fundamental.

Logicamente é preciso estar atento e saber fazer o controle biológico, tendo em vista que alguns desses bichos fazem tanto bem à produção de alimentos que substituem os agrotóxicos, pois combatem seus inimigos naturais (as pragas) que atacam os alimentos.

A aranha é uma predadora natural e comem mais pestes e insetos prejudiciais que todos os outros bichos juntos, por isso, pensem duas vezes antes de pisar naquela aranha que esta em seu canteiro. Obviamente é preciso ter cuidado quando estiver por perto, pois as aranhas podem atacar pensando em se defender.

As abelhas são excelentes polinizadoras, o que é imprescindível para algumas plantas, em alguns locais os agricultores costumam alugar colméias para polinizar suas plantações. Se você observar a presença de abelhas, é um sinal de diversidade de flores e que elas irão se multiplicar, porém se o enxame for muito grande, chame o corpo de bombeiros ou alguém que trabalhe com abelhas para controlar sua ação no local e para obter uma orientação adequada para o manuseio delas.

Se tiver minhoca na sua horta ou jardim, com certeza sua terra será mais aerada, pois elas cavam túneis e buracos, que auxiliam na aeração do solo e as plantas conseguem “respirar” melhor, a água irá penetrar no solo e onde isso ocorre à irrigação das raízes serão melhores. Como as minhocas despejam suas fezes e decomposição de animais e restos orgânicos de plantas, formando o húmus que é rico e fortalece o solo, esses animais só trazem benefícios ao seu cultivo.

Você sabia que além de bonitas as joaninhas é uma das responsáveis pelo controle biológico de afídeos (os pulgões – que se alimentam da seiva das plantas), além de também devorarem larvas, ácaros e pequenas lagartas que prejudicam as plantas. Ela é capaz de devorar 200 pulgões em um dia.

A libélula está no topo da cadeia alimentar dos insetos, e consegue manter um importante controle sobre pragas e animais indesejados ou prejudiciais, elas comem sem parar, e adoram consumir moscas. Já os percevejos e os escaravelhos, são tidos como os “exércitos”, mais temidos das hortas, pois adoram devorar pulgões e formigas que se alimentam dos caules e das plantas, essas pragas tendem a fugir quando percebem que os percevejos estão na área, e as que ficam acabam sendo comidas por eles. E como não causam danos as plantas, acabam sendo úteis no controle biológico.

Para algumas pessoas esses animais podem parecer pavorosos ou danosos, porém, são inofensivos tomando as devidas precauções, como manter a distância de aranhas e enxames de abelhas. Eles podem auxiliar a fauna e a flora por ajudarem na manutenção do equilíbrio natural das espécies de animais e vegetais. Os sapos, por exemplo, comem todo tipo de inseto, são predadores naturais e eficientes no controle de moscas e mosquitos, auxiliando no controle de diversos vetores importantes na disseminação de doenças humanas como a dengue, a malária, entre outros.

Sempre que possível consuma alimentos agroecológicos ou orgânicos, pois são alimentos de origem vegetal ou animal provenientes de sistemas que promovem o uso sustentável dos recursos naturais, produzindo alimentos livres de contaminantes, que protegem a biodiversidade e contribuem para a criação de trabalho e ao mesmo tempo, respeitam e aperfeiçoam os saberes e formas de produção tradicionais.

Silvia Hermida – Bióloga e Produtora Rural

Fonte: Stobart, Tom “Ervas, Temperos e Condimentos”. Ed. Zahar.

Jornal O Democrata São Roque

Fundado em 1º de Maio de 1917

odemocrata@odemocrata.com.br
11 4712-2034
Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 04
Centro - São Roque - SP
CEP 18130-070
Copyright 2021 - O Democrata - Todos os direitos reservados