Câmara de São Roque aprova criação de cargos para assessores

A Câmara Municipal de São Roque aprovou nesta segunda-feira, 31, a criação de 15 cargos de comissão para o cargo de Secretário de Gabinete, que tem como objetivo “assessorar o vereador na execução das atividades políticas do Gabinete Parlamentar, planejando, orientando, controlando e avaliando estas atividades para assegurar o seu regular desenvolvimento”; conforme descreve o Projeto de Resolução 20/2021 entre outras inúmeras funções. Os cargos podem, ou não, serem nomeados pelo próximo presidente da casa legislativa a partir de 2022, caso solicitados pelos edis que desejarem o assessoramento.

+ Trânsito da região central de São Roque terá alterações na próxima semana

“A minha preocupação é que nós temos um concurso realizado e que ainda não foram chamados todos aqueles que foram aprovados. Este projeto poderia esperar. Nós vamos aprovar uma lei que a Câmara passa de 20 para 48 funcionários não é pequeno o volume. Eu gostaria de ter um assessor do meu lado, não vou negar, isso é importante. Mas eu acho que o Tribunal de Contas vai questionar a Mesa Diretora. Quando eu posso, eu dou conselhos, porque vão ter problemas.” – comentou Niltinho Bastos, um dos quatro vereadores contrários ao projeto.

“Eu não vou vir aqui fazer politicagem e jogar pra galera da internet. É inaceitável quando alguém fala que o vereador só trabalha uma vez por semana, durante a sessão. Essa pessoa não conhece o trabalho de um vereador. Eu espero ver essa Casa de Leis cheia de pessoas cobrando o vereador, nós temos, sim que ser cobrados, mas muitas demandas eu não consigo atender. Vereador não tem horário, sábado e domingo, não tem descanso não. Domingo eu passo o dia lendo a pauta de segunda-feira e eu preciso de um apoio” – disse o vereador Toninho Barba, um dos 10 que votaram favoráveis ao projeto.

Mesmo sem poder votar, o presidente da Câmara, Julio Mariano, também defendeu o projeto: “Eu agradeço a preocupação do Niltinho, mas eu solicitei um parecer jurídico que nos forneceu as adequações necessárias para que a Casa de Leis continue na legalidade para poder contratar esses assessores. Eu já trabalhei com assessores e sei como isso ajuda no mandato do vereador e a quantidade de pessoas atendidas no município é maior. Eu como presidente tenho qu dar condição para os vereadores terem estrutura para trabalhar.

CBA abre 20 vagas para estágio em fábrica em Alumínio

Caso sejam contratados, os secretários de gabinete precisarão ter curso superior completo e receberão um salário bruto de R$ 2.980,00 para “auxiliar na redação de proposituras, requerimentos, emendas, manifestações, discursos e, com exclusividade, moções, indicações e ofícios vereador; receber requerimentos, reclamações e reivindicações de munícipes, estudar temas, organizar pautas e produzir relatórios ao parlamentar, para o planejamento estratégico de sua atuação; articular e coordenar a agenda do vereador, organizando os contatos da sociedade civil, de lideranças, de instituições públicas e privadas e outros, assessorar o parlamentar no trato com órgãos de imprensa, providenciando o agendamento de entrevistas, manifestações escritas e registro fotográfico de atividades cotidianas, organizando a sua divulgação e arquivamento; assessorar o parlamentar na gestão dos canais de mídia utilizados para divulgação de conteúdos informativos da atuação desse parlamentar; representar o vereador em eventos e outros compromissos previamente agendados, conforme determinação superior; desenvolver outras tarefas correlatas que lhe forem determinadas” – diz o Projeto de Lei 64/2021.