Inverno e suas cervejas complexas

É chegada a hora de abrir a adega e selecionar as cervejas mais complexas, alcoólicas e encorpadas. Nessa estação, quando os termômetros marcam poucos graus célsius, as saídas para bares e cervejarias se tornam menos constantes e o clima frio pede bebidas mais quentes. Mesmo para aqueles que ainda pensam que cerveja é bebida de verão, a estação fria traz consigo as cervejas mais refinadas e charmosas.

Algumas características ajudam a identificar se a cerveja é indicada para o inverno ou verão. Quanto maior o teor alcoólico (varia de 7% a 14%) de uma cerveja, mais licorosa e aveludada ela tende de ser, além disso, maior a sensação de aquecimento na boca. Cervejas com maior teor, tendem a ter temperatura de serviço maior. Então, nada de servir muito gelada.

Temperatura de adega é o mais indicado, 12°C, aproximadamente. As taças também definem muito bem as características dessas cervejas. Preferencialmente, são servidas em cálices. Se não tiver, use uma taça bem aberta ”bojuda”, assim, sentirá melhor o aroma. Outra característica muito comum das cervejas de inverno é a coloração. Na maioria das vezes com nuances de tons de castanho claro, vermelho acobreado, marrom, até preto opaco.

Para finalizar, cervejas com envelhecimento em barris de madeira aumentam a complexidade e perfil das cervejas. Se levarmos em consideração as maiores escolas cervejeiras (Belga, Inglesa, Alemã e Norte-americana) ambas possuem um inverno mais rigoroso que o nosso, e todas possuem estilos de cerveja que se adaptam melhor no inverno. Então, vamos explorar todas as opções que herdamos e também têm sido produzidas pelas ótimas micro cervejarias nacionais.

Beba menos, beba melhor!

Para produzir sua própria cerveja entre em contato pelo e-mail: [email protected] Instagram @_rogersantiago_o #culturacervejeirasr

Por Rogério Santiago