Rúcula apreciada desde o Império Romano

                                            
A rúcula é uma planta originária e muito cultivada na região mediterrânea, e na região do leste europeu até a Jordânia. Essa espécie pertence à família Brassicaceae e se caracteriza por apresentar um sabor picante, o que faz com que seja muito consumida. É uma planta anual que lembra uma alface aberta, com folhas lobadas, aromáticas e apimentadas, que contém compostos de isotiocianato semelhantes aos da raiz forte (Armoracia rusticana) e do wasabi (Wasabia japonica). Suas flores alvas de quatro pétalas, de sabor picante, podem ser acrescentadas as saladas. Suas sementes são pequenas e redondas, brotam em cápsulas que se separam quando estão maduras.

Existem diferentes espécies de rúcula, no Brasil, a espécie mais cultivada é a Eruca sativa, da família Brassicaceae uma família de grande importância econômica e que inclui outros representantes conhecidos, como o repolho, o brócolis e a couve. A rúcula é uma hortaliçarica em sais minerais, vitaminas e fibras beneficiando nossa saúde quando consumida frequentemente.A rúcula foi introduzida no Brasil por imigrantes italianos, sendo muito apreciada no país, consumida principalmente, nas regiões Sudeste e Sul.

A rúcula se desenvolve durante todo o ano e adapta-se melhor em regiões de clima mais frio, e se desenvolve bem em solo de hortas. Quando essa planta é submetida a temperaturas mais elevadas, a fase reprodutiva é antecipada, fazendo com que o florescimento ocorra precocemente e a produção seja prejudicada. Se cultivada em época com grande quantidade de chuva o seu desenvolvimento não é o mesmo, fazendo com que a planta apresente um tamanho menor e a qualidade das folhas sejam afetadas, sendo mais amareladas e danificadas. Geralmente, a colheita ocorre após 30 a 40 dias após a semeadura. Arúculaé uma hortaliça que apresenta uma série de componentes benéficos à saúde humana. Além de ser fonte de fibras, a rúcula é rica em vitaminas A e C, ômega 3 e sais minerais, em especial o cálcio, ferro e potássio. Apresenta efeitos antioxidantes e anti inflamatórios e age como estimulante de apetite. 

Na parte das propriedades medicinais da rúcula, pode-se citar o uso da planta no controle de escorbuto e no tratamento de doenças pulmonares, de gases intestinais e da anemia. Na culinária seu consumo deve ocorrer antes da floração, pois ficam muito amargas após a florada. Essa folha combina com outras hortaliças para compor saladas mistas. Se preferir usar em risotos, pizza, refogados ou molho, refogue rapidamente ou passe a rúcula no vapor. Ela pode substituir o manjericão para fazer o pesto.

  • Curiosidades: os romanos consideravam a rúcula afrodisíaca, e usavam suas sementes para aromatizar o azeite;
  • As sementes produzem brotos excelentes e delas também se extrai óleo;
  • A rúcula também é conhecida como mostarda persa.
  • Uma porção de 35grs de rúcula tem apenas 7 calorias.

Silvia Hermida – Bióloga e Produtora Rural

Fonte: Stobart, Tom “Ervas, Temperos e Condimentos”. Ed. Zahar.

Toda quinta-feira os cidadãos de São Roque têm a oportunidade de interagir e adquirir produtos produzidos localmente com manejo agroecológico na Feira Agroecológica de São Roque, que ocorre na Av. 3 de Maio, 900 das 8h até as 12h. @feiraagroecosaoroque