Até quando o cidadão de São Roque vai sofrer com o transporte?

Por vereador Guto Issa

A população de São Roque sofre há tempos com o transporte público da cidade. Quando ainda éramos atendidos pela Viação São Roque, eram comuns os relatos de falta de segurança nos ônibus antigos e sem manutenção adequada. Eu mesmo, em algumas ocasiões, já constatei situações graves que colocavam a integridade dos passageiros em risco, como veículos rodando com pneus que já deveriam ter sido trocados há tempos.

Como vereador, minha obrigação é trabalhar para a população e atender às suas demandas, cuidando das pessoas que represento. Por causa disso, denunciei diversas vezes a Viação São Roque pelas irregularidades, que eram graves. Depois de várias denúncias, a empresa cedeu o seu contrato para a Viação Mirage, que assumiu o transporte da nossa cidade mas, infelizmente, não houve melhora no cenário.

A Mirage, desde o início da prestação do serviço, causou transtornos para a população com alterações nos horários. Além disso, a diminuição no tempo de integração para 45 minutos aumentou o já alto gasto do cidadão com o transporte. Estive sempre cobrando a empresa e protocolei diversas denúncias, inclusive no Ministério Público de São Paulo, referentes aos transtornos e prejuízos causados a centenas de moradores de São Roque.

Mais recentemente, em 2020, durante a epidemia causada pelo coronavírus, os ônibus da nossa cidade foram palco de cenas no mínimo preocupantes: veículos lotados, sem qualquer distanciamento entre as pessoas, que se protegiam apenas com máscaras. A Viação Mirage desde o início da crise na saúde, que exigiu fechamento de comércios e uma quarentena rígida, reduziu horários de ônibus, esquecendo que muitos ainda seguiam trabalhando e se locomovendo. Com menos ônibus nas ruas, as pessoas são obrigadas a se aglomerar nos que ainda estão disponíveis.

Nas últimas semanas, São Roque bateu recordes de casos de Covid-19, a doença causada pelo coronavírus, e o comércio precisou ser fechado novamente. Retrocedemos à fase vermelha do plano de controle e reabertura do Estado de São Paulo. Logo após este anúncio, a Viação Mirage comunicou uma nova redução de horários, repetindo a situação vista algumas semanas atrás.

O transporte é um direito do cidadão, e é dever do poder público garantir que o serviço seja de qualidade e seguro. A luta por um transporte público de qualidade sempre foi, e sempre será, prioridade no meu trabalho como representante da população. Não podemos admitir que, principalmente em um momento de crise jamais visto como o que estamos vivendo agora, o cidadão tenha sua saúde e sua integridade negligenciadas.