Notícias falsas: serão também uma pandemia?

Muito se tem falado sobre as fake news e seu impacto social. Num momento de crise como o que vivemos, esta temática tem se tornado central. Conheça mais sobre as notícias falsas e a forma como se propagam pelo globo.

Se você vive nesse planeta e a menos que seja um completo eremita, o mais certo é que você já tenha se cruzado com conteúdos falsos ao ler uma notícia. As redes sociais, espaços publicitários ou até mesmo as publicações de pessoas que acreditam em conspirações são frequente as fontes primordiais dessas notícias sem fundamentação. Na verdade, ainda que tentem manter-se mais objetivos, os mídia convencionais também acabam caindo nesse erro de forma ocasional, muitas vezes partindo de fontes pouco fiáveis ou de interesses econômicos e políticos.

Num momento sensível como esse do Covid-19, a recepção de notícias fake cria grande desconforto, vez que pode gerar o pânico na população. Na verdade, todos os setores têm empresas fiáveis que estão denunciando o problema, como é o caso do casino Jackpot City quando fala de deepfake ou da BBC quando enumerou o tipo de pessoa que está fazendo esse tipo de conteúdos.

As notícias falsas podem ser uma pandemia bem grave nesse momento. Venha saber quem está fazendo a difusão desse tipo de informação e quais são seus riscos.

Quem está inventando notícias?

Como referenciámos, foi a BBC quem primeiro foi saber quem estava inventando notícias e, para esse mídia, existem variados responsáveis pelo problema.

As celebridades, os piadistas, os golpistas e burlões, os políticos, os insiders e os criadores de teorias conspiratórias são, segundo esse meio de comunicação, os tipos de criador mais comum.

Essas pessoas nem sempre têm como intenção a passagem de informação errada aos seus seguidores, embora existam – como todos sabemos – interesses governamentais ou econômicos que podem motivá-la.

Na maioria das situações, as notícias falsas nascem de crenças enraizadas do criador dos conteúdos. Quando a pessoa que transmite suas opiniões e se for uma entidade com um lugar de fala de relevo – como alguém conhecido do grande público ou alguém do setor sobre o qual se manifesta – as suas palavras acabam se tornando relevantes para os seguidores e ganhando raízes, propagando pelas redes sociais ou na conversação cotidiana.

Quais os perigos das fake news?

Para quase todas as pessoas, a ideia de que existam notícias falsas simplesmente não faz sentido e, por isso, a tendência na recepção da informação é de que esta seja real.

O realismo que atribuímos às notícias é o que torna essas estruturas tão poderosas. Vale a pena recordar que a mídia é capaz de modificar nossas percepções do mundo e que uma notícia pode nos causar o pânico ou motivar a ação social.

Receber má informação pode ser perigoso a nível individual e social e, por isso, a triagem da boa e da má informação é fundamental para a segurança.
Para garantir que a informação que você consome é fidedigna é muito importante que verifique sempre as fontes das notícias e que escolha espaços de mídia independentes e objetivos.